Saúde Integral

22/01/2014 14h05

Água de quiabo contra diabetes?

Jovens estudantes provocam polêmica ao apresentar pesquisa na TV

Por Nosso Bem Estar

CAPITU/ FLICKR/ NBE
Quiabo contra diabetes

Consumo do alimento aumenta a absorção da glicose pelo organismo

Água de quiabo cura mesmo o diabetes? O assunto tem causado uma grande polêmica em todo o país após ser apresentado em um programa de televisão. Jovens estudantes de Minas Gerais fizeram uma pesquisa orientada e utilizaram a medicação natural em pacientes de sua família, obtendo excelentes resultados. No entanto, os especialistas alertam: o uso não pode, de forma alguma, substituir o tratamento convencional.

Cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil têm diabetes, o que corresponde a quase 6,5% da população. No mundo, a cada 7 segundos morre um paciente por complicações da doença. Estes números foram os grandes motivadores do trabalho dos estudantes, que mergulharam no tema por alguns meses e acabaram descobrindo uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) feita com animais. O estudo apontava que a ração a base de quiabo controla os níveis glicêmicos do organismo. Então os jovens resolveram adaptar os testes para seres humanos, utilizando a água de quiabo para facilitar a aceitação.

Diante da repercussão que a novidade teve junto à população, a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) emitiu nota esclarecendo o assunto, afirmando que “vê com grande preocupação a divulgação por grandes veículos de comunicação, formas alternativas de tratamento do diabetes”. O tratamento com quiabo não é recomendado pela SBD por vários motivos, entre eles a ausência de evidências científicas que comprovem sua eficácia e de avaliações sobre o seu uso conjunto com as terapias médicas convencionais.

O comunicado esclarece também que tratar diabetes não significa somente tratar a glicemia, mas também o colesterol, a pressão arterial, a obesidade, o hábito de fumar, e todos fatores de risco para a doença vascular, principal causa de morte na atualidade. Embora ainda não curável, a doença é perfeitamente controlada com medicamentos encontrados gratuitamente em farmácias populares e unidades básicas de saúde.

Não é a primeira vez

O médico Walter Minicucci, especialista em endocrinologia, destaca que diversas vezes surgiram promessas milagrosas de cura do diabetes com algum alimento ou planta. No evento recente do quiabo, foi afirmado que, devido a seu alto conteúdo de fibras alimentares, ele poderia diminuir a absorção de carboidratos (açúcares) ingeridos e, com isso, impedir uma elevação das taxas de glicose. “É muito importante ressaltar que um prato fundo de quiabo, quantidade comparável ao que os ratos da pesquisa comeram diariamente, não substitui as medicações diárias para o diabetes”.

Vale lembrar que cautela é sempre boa providência. “Quiabo é bom, assim como a batata Yakon e outros vegetais, inclusive a cebola, por causa do alto teor de fibras. Porém, o que realmente funciona, além de uma dieta adequada para o tratamento e controle do diabetes, é perder peso e conservar-se no peso ideal, fazer atividade física, no mínimo 3 vezes por semana, manter o bom humor e tomar as medicações corretamente”, complementa o endocrinologista.

A Sociedade Brasileira de Diabetes recomenda que as pessoas portadoras da doença mantenham o uso de medicamentos prescritos pelo médico, incluindo insulina se necessário, e visitem um serviço de saúde para realização de exames periódicos e consultas com outros especialistas quando necessário: cardiologista, oftalmologista, nefrologista, etc. 

Você pode assistir aqui o programa que levantou a polêmica:

Fontes: Sociedade Brasileira de Diabetes – www.diabetes.org.br, Clínica Walter Minicucci – www.walterminicucci.com.br, Programa Caldeirão do Huck (Rede Globo)

X